O post de hoje surgiu devido ao número de e-mails que recebemos de leitores, desde o início do blog, nos quais sempre comentam que, apesar de se identificarem muito com a Concept Art, sentem muita dificuldade em representar corretamente suas idéias através do sketch.

Bom, claro que pra resolver isso de vez, uma boa escola de desenho ajuda pacas, mas vamos tentar dar uma força, publicando alguns posts com algumas dicas que podem ser úteis.

Comecemos pelo seguinte ponto: todo e qualquer desenho faz uso de formas geométricas. Portanto, se você consegue desenhar bem as formas geométricas, você pode começar a pensar em ser um artista conceitual. Mas peralá! Não vá achando que é tãããão simples assim, pois a chave é representá-las em 2D, mas tratando-as como 3D.

Vamos analisar as imagens abaixo, criadas por artistas conceituadíssimos na área de Entertainment Art, Ed Lee e Matt Barrett:

Preste atenção na imagem a seguir. Veja como, apesar de parecer uma forma bastante complexa, podemos facilmente identificar formas bem conhecidas e fáceis de representar.

( imagem: igreja de St. Martin em Frómista, na Espanha)

Parece óbvio, mas acredite, identificar esses volumes realmente ajuda a simplificar as coisas em nossa mente antes de começar a desenhar.

O “Xis” da questão (sempre tem um!) é saber como editá-los, usando a perspectiva (1, 2 ou 3 pontos) como apoio para poder adicionar outras formas à eles, subtrair partes deles, dividi-los e multiplica-los , modificando-os até chegar ao ponto que desejamos.

Pra treinar seus olhos e cérebro, comece a ver todos os objetos ao seu redor e tente identificar como as formas básicas estão interagindo entre si. É um ótimo exercício de percepção para o próximo passo: como trabalhar superfícies. (Em próximo post).

OUTROS POSTS QUE PODEM SER DE SEU INTERESSE: