É isso aí.  O primeiro desafio THECAB já acabou, e o grande vencedor foi o Márcio Marx, de Fortaleza, Ceará. Essa aí embaixo é a imagem vencedora, e esse é o blog do Márcio (http://marxarte.blogspot.com/). Parabéns, cara!  : )

Conforme combinado, essa arte ficará, a partir de hoje, permanentemente na área “DESAFIO THECAB“.

Agora, peço licença ao Márcio pra fazer apenas alguns poucos comentários sobre sua arte. Espero que sejam bem-vindas. Vamos lá:

1. Profundidade

Esse é um ponto realmente importante numa arte para ambiente (environment). É preciso que o observador consiga identificar em poucos segundos o que está na frente, no meio e no fundo. Pra explicar melhor, fiz uma redução em P/B. Veja no thumbnail abaixo como é difícil identificar esses 3 níveis de profundidade.

Deixe os olhos semifechados e olhe a imagem. Você vai ver praticamente tudo no mesmo nível de profundidade. Isso porque os valores tonais precisam ser modificados para dar essa impressão. Se você observar uma foto aérea vai perceber que láaa embaixo  as imagens tendem a ficar bem menos saturadas. Segue sugestão:

Aqui você vê o avião em primeiro plano, bem na nossa cara, parte da cidade e o avião menor em um segundo nível e beeem pequena lá no fundo, o resto da cidade.

2. Ponto de interesse

Isso é algo que tem direta relação com composição. Como toda arte, essa também foi criada para nos dizer algo, certo? Agora tente idenficar rapidamente na sua imagem qual é o ponto de maior interesse, ou seja, qual a história que essa imagem está contando para o observador. É a batalha aérea? Me parece que sim, mas isso não está claro. Por quê?

Porque há um enorme ponto de luz no canto superior esquerdo me chamando a atenção primeiro, pontos verticais brancos que sobressaem bastante aos demais elementos (horizontais) da imagem e uma área com círculos que, além de também se destacarem pela forma, ainda estão bem detalhados, o que faz com que nosso olhar seja direcionado pra lá.

Veja nas setas abaixo os pontos onde foi “rebaixada” a luz para dar foco ao seu ponto de mais interesse, e onde foi colocado (a fumaça) de forma a facilitar ao observador entender a “história” que você está tentando contar, e chamar a atenção para o que realmente interessa nessa imagem.

Você pode usar esses conceitos mesmo trabalhando na imagem já colorida. Se achar mais fácil, pode iniciar em P/B e depois adicionar  cores. Bom, no geral é isso. Novamente, grande trabalho, Marcio!  : )