Se você é um estudante de desenho industrial e já pensou alguma vez em ingressar na área de Entertainment Design, esse post é pra você.

Conforme o próprio Ben Procter comenta no seu website, as artes que são mostradas logo abaixo foram criadas em estreita relação com o designer de produção de Avatar, Rick Carter. Ele foi o responsável pela definição de como deveria ser o visual e toda a atmosfera do filme (look and feel). Esse, por sua vez, para realizar seu tabalho, também atua constantemente em contato com o diretor, que no caso, foi James Cameron.

Já ouvi de alguns desenhistas industriais um pouco menos informados sobre essa área de entretenimento que Concept Design é pra quem tem preguiça de produzir e que deseja só criar, sem se preocupar com a produção final. Bom, sou obrigado a discordar. E nem preciso fazer muito esforço para convencer. Ben Procter deixa isso muito claro nessas pranchas. : )

À convite de Paul Christopher, instrutor do curso de Vehicles and Mechs da CDA, tivemos uma apresentação dos designers de produção Rob Johnston e Joe Hiura. As várias pastas de portfolios que eles nos mostraram era qualquer coisa de sensasional.

Detalhamento de cada pequena parte do projeto e preocupação total a respeito da produção. Joe comentou que chegou a trabalhar umas duas semanas em um único objeto, se não me engano o interior de uma uma escotilha, que apareceu no filme por não mais que 3 segundos. Não, você não leu errado, foram SEGUNDOS!!! Desperdício de tempo e dinheiro? Não necessariamente.

Segundo eles, essa preocupação existe porque muitas vezes acaba sendo até mais barato produzir realmente várias cópias de algum produto, veículo ou nave que precisará ser explodida, cortada ao meio, arremessada aos ares, sei lá, do que pagar uma produção de efeitos visuais, que segundo eles, ficaria ainda mais caro.

Pra se ter uma idéia em como esse campo de production design é algo real em Los Angeles, eles disseram que existe um local nas redondesas de Pasadena, se não me falha a mamória, bastante parecido com aquelas mega lojas de material de construção (C&C e Leroy Merlin, por exemplo), mas onde se encontram peças de avião, às vezes até aviões inteiros, tanques de guerra completos, partes de naves alienígenas já utilizadas,  enfim, várias “sucatas” de antigas produções que os designers de produção garimpam para realizarem seus novos projetos e tentar barateá-los de alguma forma.

Bom, então é isso. Conforme já mancionado aqui no blog algumas vezes, Desenho Industrial é sim uma área que tem estreita relação com a área de entretenimento. Se no seu curso ninguém comenta a respeito, que tal você ser o primeiro? Afinal, é mais uma área de atuação para os bons desenhistas industriais.

OUTROS POSTS QUE PODEM SER DE SEU INTERESSE: