Lou Romano, production designer da Pixar Animation, com trabalhos premiados em filmes como Monstros S/A, UP, Ratatouille e Os Incríveis, lançou recentemente um blog muito útil chamado Cinemosaic. Como o próprio nome explica, é um mosaico de imagens de filmes, desde produções atuais até filmes em Preto e branco, que servem de referência tanto para a criação de composição como para luz e story board.

Para se familiarizar com o termo composição

Procure observar nos thumbnails (essas imagens em tamanhos bem reduzidos, como slides, por exemplo). Fazendo isso, de preferência com os olhos semiserrados (quase fechados), você poderá notar mais claramente as áreas de luz e de sombra de cada imagem, o que está no primeiro plano, no plano médio e no fundo, o contraste e a combinação de formas (os shapes) e cores, além de tentar identificar como o olhar do expectador é direcionado no quadro em questão.

O motivo de vê-las bem pequenas é que você força seus olhos a buscarem primeiro as grandes massas, seja de forma ou cores, e suas posições na cena, deixando para um segundo estágio os detalhes da imagem. É um ótimo exercício de composição.

Outro recurso bastante válido é transformar esse thumbnail em tons de cinza, pois retirando o fator “cor” da cena as principais formas e os recursos de composição usados, como por exemplo positivo x negativo,  horizontais x verticias, rápidez x lentidão, suavidade x aspereza e etc.), são mais facilmente identificáveis.

À essa combinação harmônica de formas e movimentos que tem o objetivo de mostrar uma cena de modo criativo e interessante para a audiência dá-se o nome de “composição” (Dream Worlds, Hans Bacher).

Parece simples, mas isso muitas vezes é a pedra no sapato de muitos artistas, mesmo veteranos. Não à toa, Lou Romano continua estudando e analisando o que já foi feito de bom e tentando usar no dia-a-dia. E se ele faz, por que não tentar também?