Há alguns meses comprei o livro “Dando vida a desenhos“, volume 1 (Drawn to life), de Walt Stanchfield. Acho que já comentei sobre isso, não? OK, mas o foco agora é um pouco diferente.

O livro tem umas 400 páginas e tento percorrê-las todas, linha por linha, sketch por sketch. Sem pressa. No entanto, lembro claramente que a primeira vez que vi esse livro não dei muita atenção. No ocasião não me pareceu lá grande coisa, pois os desenhos propositadamente “rabiscados” não me inspiraram nada naquele momento. E olha que nessa época eu estava em Los Angeles tendo aulas de figure drawing algumas vezes por semana, na Concept Design Academy e nos workshops do Art Center College. Claro, muito se falava desse livro por lá, mas mesmo assim não me bateu o sino. Sabe como é? Pois é…

Hoje, analisando o fato de que passo horas e horas por semana debruçado em suas páginas, lendo e analisando com cuidado seus traços – e melhor – sentido os benefícios dessa leitura em meus próprios desenhos, me pergunto:  por quê tal interesse não me bateu naquele exato instante que peguei o livro, mas somente agora, vários meses depois?

Minha conclusão: simplesmente não era o momento.

Na época eu estava preocupado em melhorar meus fundamentos em anatomia, conhecer melhor como são os músculos, ossos, volumes e etc. Interessante é que imagino que tal interesse surgiu AGORA justamente porque já me sinto mais confortável e seguro com o que estudei antes.

Conforme palavras do Kevin Chen, diretor da CDA, é importante deixar que o tempo e a prática nos ajudem a assimilar o que estamos aprendendo. E isso faz todo o sentido, pois do contrário vamos ter milhões de informações armazenadas e nada faremos com elas. Precisamos avançar os estágios do aprendizado, um a um, na medida em que eles se apresentem para nós.

E o tempo que cada estágio do aprendizado se apresenta para cada indivíduo é diferente. Cada um tem seu MOMENTO. O importante é continuar estudando e treinando diariamente para “liberar a fila” do aprendizado que já está em nossa mente. Só assim chegaremos ao ponto que queremos.  Então já sabe: desenhe!

Cada desenho tosco que fazemos libera a fila para os melhores que virão. Não é fácil. Exige dedicação e paciência, às vezes é frustrante, mas o retorno vale todo o esforço. Para finalizar, separei algumas frases de “Walt Stanchfield” que me foram úteis em momentos diferentes. Mesmo que não seja o SEU momento para assimilá-las, talvez seja o de alguém:

“Não temos que copiar o obter uma representação fotográfica, mas, em vez disso, estudar e captar a essência das poses.”

“O objetivo é encontrar a essência do gesto e fazer todas as partes do corpo contribuírem para melhorar esse gesto”

“Conhecimento é a única coisa necessária para planejar o caminho, mas energia é a coisa necessária para fazer tudo acontecer”

“Duas linhas são tudo o que você precisa para localizar e sugerir as várias partes dos braços e das pernas – preferencialmente uma delas reta e a outra curva”

“Devemos ser emocionais em relação ao nosso tema, quer ele tenha a ver com assuntos sérios, quer com humor. Não podemos abrir mão de nossas emoções – se fisermos isso, o resultado será a mera reprodução anatômica.”

“Um desenho ou uma cena não está acabada quando uma representação material for feita; ele está acabado depois que uma representação sensível de uma emoção for criada.”

“desenhe verbos, não substantivos. Um substantivo é algo que pode ser nomeado; um verbo é aquela coisa wue recebeu o sopro da vida.”

“A questão é: você quer aprimorar sua habilidade e sensibilidade até o ponto em que possa expressar qualquer gesto que seja convidado a desenhar. É emocionante ver um desenho bem feito, mas é profundamente emocionante ver um desenho que expresse gesto, humor, sentimento ou ação significativa.”

“A intensidade do ângulo normalmente depende da intensidade da emoção ou do humor por trás da pose”

“O processo de aprendizagem é divertido. O que ele faz é destruir uma grande quantidade de orgulhos falsos”

“Desenhe idéias, não coisas; ação, não poses; gestos, não estruturas anatômicas”

“É preciso muita coragem para ser jovem, para continuar crescendo – não se acomodar e aceitar”

“história: não faça um desenho sem ela”

“Ninguém imaginaria criar um carro montando pilhas de parafusos, porcas, e peças diversas. Nem você deve imaginar iniciar um desenho montando vários ossos, músculos e partes diversas. (…) isso é  obstáculo mais óbvio no caminho – começar pelas partes”

“T+H=F, Talento + Habilidade = Felicidade. Que sua vida seja repleta de felicidade”

 

 

Na boa, eu adoro esse cara. ; )